CAIXA SUBTERRÂNEA CS-2

Tenho visto muita coisa errada em infraestrutura subterrânea para cabos ópticos. O caso mais comum é o uso de caixas quadradas, 40 cm x 40 cm, dotadas de tampas de concreto, adequadas para cabos elétricos, mas, inadequadas para cabos de telecomunicações.

Abaixo, estão as dimensões da caixa CS2, o tipo mais usado pela RNP:

Caixa CS2Uma caixa subterrânea típica para cabos ópticos possui as seguintes dimensões:

Comprimento 107 cm; Largura 52 cm; Profundidade 60 cm

As paredes podem ser de alvenaria de tijolos, de concreto, ou de outro material.

No fundo da caixa é importante que haja um dreno. Normalmente, um buraco circular com 100 cm de profundidade e 10 cm de diâmetro. esse buraco deve ser preenchido com brita número 2. Ao invés de laje, o fundo da caixa pode ser feito com uma camada de 10 cm de brita número 2.

As paredes devem ser equipadas com suportes para degraus.

Sobre as paredes deve ser fixado um chassis de aço, perfil “L” zincado a quente. O chassis deve receber uma tampa de aço fundido cinza com recartilhado anti-derrapante, tipo QC da Telebrás.

Nunca levar ao pé da letra a expressão “no pé do poste”:

Caixa de pé de poste Caixa construída no “pé do poste” precisa ficar a uma distância mínima de 100 cm do mesmo, para não abalar sua estabilidade e permitir que a curva rígida instalada sob o cano lateral complete seu curso e fique na horizontal. Esta caixa também deveria estar equipada com tampa de ferro fundido.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *